7 simples passos para você se tornar um bom designer. O 7º é o meu favorito.

Tempo de leitura: 6 minutos

Para você, o que é ser um bom designer?

Para mim, ser qualificado como um bom designer vai um pouco além de você ter a habilidade de construir layouts incríveis.

Pensando em uma carreira a longo prazo, além de habilidades técnicas são necessárias também algumas atitudes positivas.

O mais incrível disso tudo é que adquirir isso é muito fácil e simples.

Eu acredito fortemente que qualquer um pode ser um bom designer. Desde que tenha muita dedicação e consistência.

Conheça as 7 principais habilidades de um bom designer.

As 3 primeiras são habilidades técnicas e as outras 4 são atitudes positivas.

Nº 1 – Conhecimento dos softwares (técnica):

bom designer

Essa todo mundo já conhece. Pra trabalhar com design gráfico você precisa no mínimo entender de photoshop e illustrator.

Não adianta você ter uma boa ideia e não saber aplicar ela.

Uma ideia boa, porém mal transmitida não tem valor nenhum.

Enquanto uma ideia “mais ou menos”, só que bem transmitida, tem muito mais chance de sucesso.

Isso é uma realidade que muitos não tem coragem de admitir.

No dia-a-dia de um designer muitas e muitas vezes você vai ter a função de criar algo incrível em cima de uma ideia “bem mais ou menos”.

Nº 2 – Conhecimento dos Conceitos Básicos de Design (técnica):

• Alinhamento;
alinhamento conceito basico de design
Imprescindível para deixar seu layout organizado. Objetos desalinhados dão sensação de poluição e desconforto.

• Proximidade;
proximidade conceito basico de design
Quando objetos estão próximos, nosso cérebro entende que eles pertencem a um mesmo grupo. 4 retângulos próximos formam a letra E, mesmo tendo um espaçamento entre os elementos, nosso cérebro percebe que é uma letra E.

• Constraste;
contraste conceito basico de design
Usar da técnica do contraste é muito bom para dar charme ao seu layout e transmite a mensagem mais força.

Contraste pode ser usado em cores, formas e imagens mas também pode ser usado em conceitos.

Uma criança com uma cerveja e um cigarro na mão é um excelente exemplo de contraste conceitual.

• Repetição.
repetição conceito basico de design
Facilmente encontrado nas identidades das marcas.

Um anúncio da coca-cola sempre vai ser vermelho. Do MC Donald’s sempre vai ter o M amarelo.

Nº 3 – Boas Referências (técnica):

referencias para designers
Levou bastante tempo mas eu aprendi a nunca começar um trabalho sem antes fazer uma boa pesquisa e pegar referências.

As vezes essas referências são de elementos visuais, de ideias, conceitos etc.

Perca o medo de “estar copiando”. Quando você perceber, vai ter feito uma mistura tão grande e colocado o seu tempero.

No fim, provavelmente o resultado vai ser bem diferente da referência. Mas ela foi importante para o passo inicial.

Principalmente quando você tem pouco prazo. Pegue várias referências e misture essas ideias com a sua.

Meus lugares favoritos para buscar referência são:

Para layouts em geral:
Pinterest
Behance
Dribbble

Para logotipos:
Logopond

Nº 4 – Ser uma pessoa observadora (atitude):

pessoa observadora

O que você criar vai ter que se comunicar com um público-alvo.

Comece a reparar em tudo.

Como você e seus amigos mais próximos pensam, quais são seus hábitos de compra.

O que faz vocês comprarem ou não comprarem alguma coisa.

Você vai perceber como os critérios de compra dos integrantes de um “mesmo grupo” são muito parecidos.

Nº 5 – Sentir as coisas e estar em contato com a arte (atitude):

contato com a arte

Você já deve ter reparado como um designer é mais sensível às coisas.

Isso acontece com quase todo mundo que tem o lado artístico muito forte.

Não é a toa que um designer, geralmente também tem muita facilidade para música e qualquer assunto ligado à criatividade.

Pra mim, na pratica… sentir as coisas é por exemplo ouvir música. Mas não só ouvir música, e sim SENTIR a música.

Sinta e veja arte nas coisas.

Assista a bons filmes, mergulhe nas histórias, consuma todo o tipo de arte e seja criterioso com a qualidade do conteúdo que você consome… é por isso que eu aqui em casa não assisto mais TV.

Nº 6 – Seja humilde e gente boa (atitude):

designer humilde

Já reparou como tem cara “mala” nessa nossa área?

Todo trabalho que exige criatividade das pessoas mexe também com o ego delas.

Quem já trabalhou em uma agência sabe do que estou falando.

Isso é uma realidade tão forte que muitas agências as vezes preferem contratar um profissional que tenha uma postura mais flexível, do que um bom designer que é fera na parte técnica mas que por outro lado é muito difícil de conviver.

Se engana quem pensa que o cliente não contesta uma ideia, mesmo ela sendo bem embasada e bem defendida.

Não estou falando para você “abaixar a cabeça” e aceitar tudo. Ser humilde não é ser covarde.

Se você aprender a ter flexibilidade e aceitar numa boa uma possível alteração do seu material, vai ter adquirido uma das habilidades mais valorizadas no mercado.

Isso é uma coisa que você não lê em lugar nenhum. É aprendido na prática mesmo.

As vezes você vai atender aquele tipo de cliente que acredita que é a visão dele que vai fazer com o que o negócio dele dê certo.

Esse cliente quer tem um “senso de participação” no trabalho.

Se você não deixar ele participar, a sua ideia pode até ter sido aprovada no fim das contas, mas o cliente vai ficar com aquele gostinho de “poderia ter ficado melhor”.

Eu levei bastante tempo pra aprender isso e vou te falar aqui uma realidade:

Não foram poucas as vezes que eu ouvi a sugestão do cliente, até mesmo aquele cliente chato pra ca****… e no fim das contas eu comparei a 1ª versão do material com a última… e percebi que a versão com a participação do cliente estava BEM melhor.

Nº 7 – Cumprir com a palavra: (atitude)

designer mentiroso

Deixei por último a mais difícil, importante e valiosa de todas.

Eu posso dizer com certeza que mais da metade dos meus clientes me procuraram depois de ter problemas com outra agência ou designer e na maioria das vezes o motivo era porque eles eram muito enrolados e não cumpriam com a palavra.

Se você conseguir adquirir essa habilidade, meu amigo… você está feito!

Além de você manter seus clientes satisfeitos, eles vão começar a te indicar para outros clientes de uma maneira tão natural que parece mágica. Pode ter certeza disso, te garanto!

As empresas hoje em dia buscam parceiros que resolvam problemas.

Quando você não cumpre um prazo, além de não ter resolvido o problema, acaba criando mais um.

Ninguém compra do melhor, compra daquele que resolve o problema.

Tenha como uma regra pra sua vida como designer: Se você fez uma promessa é o mesmo que ter feito uma tatuagem na sua pele.

É incrível como não cumprir prazos na nossa área é comum.

Se você não tiver esse costume terrível, terá com certeza uma das principais qualidades de um bom designer e estará “anos luz” na frente dos demais.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *